Barrica 300

Muito se tem falado sobre os 300 GPs de Rubens Barrichello, e esse “humilde” (com sarcasmo, por favor) blog também dará sua contribuição sobre esse assunto.

Depois de ganhar tudo o que tinha direito no kart e nas categorias de base, Barrichello consegue a tão sonhada chance de correr na Fórmula 1, fazendo sua estréia pela Jordan, no Grande Prêmio da África do Sul de 1993. De lá até hoje, muitas alegrias e muitas frustrações, algumas bobagens ditas e muito trabalho duro e amor pela velocidade.

Campeão da Fórmula Opel, 1990

Campeão da Fórmula 3 Inglesa, 1991

Estréia na Fórmula 1 pela Jordan, 1993

Falemos, então, um pouco sobre a carreira de Rubens. Como eu disse, sua estréia foi pela Jordan. Nessa época, Rubens era considerado como a grande revelação do automobilismo nacional, e fez uma boa temporada, a despeito da irregularidade do time. Em 1994 a dor pela perda do amigo e ídolo Ayrton Senna, e a imatura aceitação do posto de substituto do gênio, mesmo sabendo que não tinha carro nem experiência para isso. Em 1997 a ida para a Stewart, e mais uma vez, apesar do bom começo da equipe, as coisas não se mantém em um bom nível, embora Rubens se mantenha sempre na frente de seus companheiros de equipe. Nessa época é que ele começa a ser reconhecido como um excelente acertador de carros.

Em 2000 a Ferrari, com certeza o período mais conturbado de sua carreira. Com a Ferrari vêm 9 de suas 11 vitórias, dois vice-campeonatos mundiais, e a polêmica relação com Michael Schumacher, constantemente acusado por Rubens de ser favorecido pela equipe.

Cansado da situação na equipe italiana, Rubens se transfere para a Honda, que vinha com grandes expectativas de ser um time muito competitivo. O que se vê é um carro ruim e nenhuma chance de fazer algo de relevante.

Primeira vitória, GP da Alemanha 2000

E quando todos achavam que ele não teria mais nada a oferecer, eis que renasce das cinzas na vitoriosa Brawn GP, conseguindo um ótimo carro, 2 vitórias e o terceiro lugar no mundial de 2009.

Hoje na Williams, Barrichello vem mostrando que ainda é um piloto de alto nível, sendo peça fundamental no trabalho de reconstrução do tradicional time inglês.

Barrica chega aos seus 300 GPs com um saldo que, no geral, pode ser considerado positivo: 11 vitórias, 68 pódios, 637 pontos, 2 vice-campeonatos, e uma carreira limpa, construída com muito amor pelo que faz, e muita dignidade.

Parabéns Rubinho, você merece!

Hoje na Williams, mostrando que ainda tem lenha para queimar

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s