Considerações Pré Malásia 2015

Eu ainda não estou muito certo se eu devo, ou não, resenhar corridas, comentar notícias e coisas desse tipo. Mas como eu propus a mim mesmo a meta de manter o blog atualizado, enquanto eu não conseguir estipular o rumo definitivo que eu vou seguir, vou escrevendo sobre o que eu julgar relevante.

Neste fim de semana acontece o GP da Malásia, segunda etapa do mundial. Sinceramente, depois do verdadeiro fiasco que foi o GP da Austrália, eu nem sei o que esperar da corrida em Sepang.

A Fórmula 1 volta à Malásia, com um grid mais enxuto que esse

A Fórmula 1 volta à Malásia, com um grid mais enxuto que esse

De início dá para se ter a certeza que a Mercedes só perde para ela mesmo. A julgar pelo que foi visto no Albert Park, a equipe alemã parece ter conseguido se distanciar ainda mais da concorrência, e Lewis Hamilton mostrou que não foi campeão por acaso. Botou um temporal em cima do companheiro Nico Rosberg na classificação e não foi ameaçado, de verdade, em momento algum da corrida. A tendência é que isso se mantenha dessa forma.

Fernando Alonso e Valtteri Bottas finalmente irão correr. Bem, o caso do finlandês da Williams é mais tranquilo, já que as dores nas costas foram totalmente sanadas. Já o espanhol… Alonso foi liberado pelos médicos da Federação para competir, e eu acredito que condições físicas ele tenha sim, para encarar a prova. O que me deixa com a pulga atrás da orelha é o carro da McLaren, mais especificamente o motor Honda. Na Austrália, o time de Woking correu com suas unidades de força em “modo de segurança” para evitar problemas de aquecimento, principalmente. Ou seja, o próprio pessoal da Honda sabe que o caminho até que sua engenhoca esteja em plenas condições é longo e tortuoso. O problema é que o nosso “chiliquento” preferido não tem a paciência entre suas maiores virtudes. Eu até brinquei no Facebook, dizendo que o Alonso “tava dando migué” para não passar vergonha. É óbvio que a situação do piloto da McLaren era delicada e só ele e os médicos sabem o que se passou, mas sabendo o temperamento dele, não seria nenhum absurdo imaginar que, em breve, a chapa esquente para os lados do time bretão, embora ele diga que está mais feliz do que nunca esteve na vida…

Sobre a Williams e a Ferrari, eu acredito que as duas equipes possam vir a trazer a um pouco de emoção à corrida na Malásia, e ao campeonato em geral. O time de Grove manteve o bom desempenho do ano passado, com Felipe Massa fazendo corrida honesta em Melbourne, e a máfia de Maranello, além de ter evoluído bastante depois do furacão que passou por lá no fim de 2014, tem em Sebastian Vettel sua grande arma. Motivado, o tetracampeão já conseguiu um pódio esse ano. Bottas volta e, se mantiver o nível, é candidato na briga pelo pódio com seu companheiro e a dupla da Ferrari (se bem que o Räikkönen não me pareceu muito disposto na Austrália).

Sobre a turma que vem mais atrás, quem promete é Felipe Nasr (não vou fazer a piadinha do Senna reverso aqui no blog). Depois de uma excelente estreia, o brasileiro da Sauber pode conseguir mais um bom resultado em Sepang. Aliás, ele deve aproveitar ao máximo essas primeiras corridas da temporada para deixar seu “cartão de visita”, porque com a pindaíba em que o time suíço se encontra, o desenvolvimento do carro será muito prejudicado ao longo do ano e o desempenho vai cair, invariavelmente. Na Lotus o sentimento é de otimismo, com Maldonado dizendo que o time está próximo de Williams e Ferrari. Sei não, os dois carros abandonaram em Melbourne. Ok, o caso do Maldonado foi de acidente, mas eu não consigo ser otimista com a situação deles. A Red Bull, depois da má atuação na abertura da temporada, vem fazendo mimimi e reclamando do domínio da Mercedes. Hipocrisia pura, já que quando o time dos energéticos estava no auge, era tudo beleza. De qualquer forma eu espero uma reação deles em Sepang. Grana e capacidade para isso eles têm de sobra. O time B me surpreendeu positivamente na Austrália com o desempenho do novato Sainz Jr, marcando pontos na estreia. Mas é difícil esperar muita coisa quando se tem dois pilotos tão jovens como esses da Toro Rosso. A Force India parece que briga com a McLaren para ver quem tem o pior carro, já que o desempenho no Albert Park foi pífio.

Por fim a Manor. Corre ou não corre? Parece que sim, mas eu duvido muito que a ex Marussia consiga até mesmo chegar ao final da temporada. Depois de ir para a Austrália e não alinhar no grid, sequer ter andado na classificação, o time recebeu uma punição da FOM e vai deixar de embolsar US$9 milhões de premiação, uma grana que vai fazer muitíssima falta aos magros cofres da esquipe.

No mais, sempre existe a possibilidade de chuva em Sepang, e isso pode embaralhar um pouco as coisas, se bem que eu acredito que nem a chuva possa atrapalhar a Mercedes. De qualquer forma, eu sou péssimo em “futurologia”, e posso quebrar minha cara lindamente. Vejamos, pois, o que o GP da Malásia nos reserva, no próximo domingo.

2 comentários sobre “Considerações Pré Malásia 2015

  1. Schelb,

    O importante é escrever quando sentir vontade. De qualquer modo, estamos sempre de olho!

    Quanto a corrida em terras malaias, espero que a chuva possa fazer uma tremenda zona para tornar tudo imprevisível. Caso contrário, será um saco daqueles.

    Se a corrida estiver xarope, voltarei pra cama.

    abs

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s