Bahrein 2016

E mais uma vez eu sou surpreendido com uma boa prova nas areias escaldantes do Bahrein. Não, eu não vou começar a cair de amores pelo autódromo de Sakhir, mas devo admitir que a corrida lá foi bem interessante esse ano.

E, como sempre, vamos por tópicos.

Largada do GP do Bahrein (Foto: Getty Images)

Mercedes Nenhuma surpresa com o domínio acachapante do time prateado nas sessões de treinos e classificação. O grande problema foi o desempenho errático de Lewis Hamilton na corrida. O tricampeão largou mal de novo, foi tocado por Valtteri Bottas e não conseguiu acompanhar o ritmo de Kimi Raikkonen, ficando em um frustrante terceiro lugar. Melhor para Nico Rosberg, que venceu novamente (quinta vitória consecutiva do alemão, contando as três últimas provas de 2015 e as duas primeiras dessa temporada) e abriu vantagem na tabela. Uma coisa que me chamou atenção é que parece que o F1 W07 Hybrid não vem tratando muito bem os pneus, e parece apresentar problemas crônicos nos freios. A larga vantagem que Rosberg tinha sobre Raikkonen foi drasticamente diminuída no fim da prova, por esses motivos.

Nico Rosberg vence mais uma e abre vantagem na classificação do campeonato (Foto: Getty Images)

Ferrari Grande corrida de Kimi Raikkonen. Mesmo largando mal mas, desta vez sem problemas no carro, conseguiu manter um ótimo ritmo de corrida e chegou em um excelente segundo lugar. Sebastian Vettel teve um motor estourado ainda na volta de aquecimento, e sequer largou. Mesmo com o problema apresentado no carro do alemão, é notória a evolução da Ferrari, que vem conseguindo ter um bom ritmo de corrida, acertando as estratégias, e vem andando mais próxima da Mercedes aos domingos.

Williams Prova discreta do time de Grove. Fica claro que a Williams não conseguiu acompanhar o desenvolvimento da Ferrari e periga andar atrás da Toro Rosso, da Red Bull e Haas, esse ano. Felipe Massa fez uma corrida poupando equipamento, mas reclamou bastante da estratégia de apenas duas paradas, que lhe custou melhor posição ao final da corrida. Chegou em oitavo. Já Bottas arrumou um salseiro danado com Lewis Hamilton na largada, quase tirou o inglês da prova, tomou um drive-through, mas conseguiu ainda chegar em nono e salvar dois pontinhos. Vale destacar a excelente largada do brasileiro, que pulou do sétimo para o segundo lugar.

Bottas quase tira Hamilton da prova  (Foto: Getty Images)

Bottas quase tira Hamilton da prova (Foto: Getty Images)

Red Bull A equipe austríaca parece mostrar uma certa evolução em relação a 2015, com melhor ritmo nas corridas. Daniel Ricciardo chegou em um bom quarto lugar e Daniil Kvyat chegou em sétimo, após uma corrida onde passou quase que despercebido. Apesar da pequena evolução, a meu ver, a Red Bull ainda anda meio discreta demais nas corridas. Mesmo o bom desempenho de Ricciardo nas duas primeiras provas do ano não consegue apagar essa impressão.

Haas Depois de duas corridas com excelentes resultados, eu posso dizer que o time ianque não veio para a Fórmula 1 a passeio. O projeto é sério, e tem grandes chances de dar realmente certo. Não que eu duvidasse da capacidade de Gene Haas, mas o início dos trabalhos na Fórmula 1 é sempre muito complexo. Mas o time tem competência de sobra. Romain Grosjean foi, mais uma vez, o grande destaque positivo do domingo, na minha opinião. O franco-suíço fez uma corrida brilhante e só não conseguiu um resultado melhor que o já excelente quinto lugar, por conta de um pequeno erro da equipe em seu terceiro pit-stop. Normal, coisa que acontece nas melhores equipes. Esteban Gutiérrez teve azar novamente e precisou abandonar, com problemas nos freios. É realmente uma pena que a equipe tenha tomado a decisão de não mais evoluir o carro para esse ano, já que, mantendo o bom trabalho que vem fazendo, não demoraria nada a beliscar um pódio.

Romain Grosjean, um dos destaques da corrida  (Foto: Getty Images)

Romain Grosjean, um dos destaques da corrida (Foto: Getty Images)

Toro Rosso Apesar do abandono de Carlos Sainz Jr, causado por uma toque com Sergio Pérez, o time B dos energéticos mostrou, mais uma vez, muita consistência, e mostrou que tem um carro muito equilibrado. Max Verstappen chegou numa boa sétima colocação, conseguindo andar na frente de Kvyat, com o carro da Red Bull, e das duas Williams.

Renault – Mais uma prova apagada do time francês. Jolyon Palmer teve problemas hidráulicos na volta de aquecimento e foi outro que não largou. Kevin Magnussen terminou num discreto décimo primeiro lugar. O time segue zerado no mundial de construtores, e dá a entender que tem um longo caminho até as coisas começarem a funcionar por lá.

McLaren O time de Woking teve um fim de semana meio conturbado. Fernando Alonso foi vetado de correr por causa de pequenas fissuras em suas costelas, consequência do pavoroso acidente sofrido por ele em Melbourne, e foi substituído pelo belga Stoffel Vandoorne. E o garoto não decepcionou, fez corrida consistente e conseguiu um bom décimo lugar, marcando seu primeiro ponto logo na sua estreia na Fórmula 1. Já Jenson Button preferiria esquecer o GP bareinita. Com problemas no motor, o campeão de 2009 abandonou a prova ainda no começo.

Force India Outra corrida apagada do time indiano. Os dois carros chegaram atrás da falida Sauber e atrás de um dos carros da Manor. Sergio Pérez se envolveu em confusão com Sainz Jr e Nico Hülkenberg teve problemas durante toda a prova.

Manor Parece que o time teve uma pequena evolução em relação ao ano passado. Pascal Wehrlein fez boa prova e chegou em décimo terceiro. Parece ser bom piloto o garoto alemão. Já seu companheiro, o indonésio Rio Haryanto não fez nada além do que se esperaria dele: chegou em último lugar.

Sauber – As coisas andam feias pros lados da equipe suíça. Sem dinheiro, o time corre o risco de não conseguir viajar à China para o próximo GP, e fala-se de que o Grupo FIAT estaria interessado na compra do time para  transformá-lo na equipe oficial da Alfa Romeo. O fato é que Felipe Nasr e Marcus Ericsson tiveram desempenho sofrível, só conseguindo chegar à frente dos carros da Force India, por causa dos problemas apresentados pelo time indiano, e do inexpressivo Haryanto.

Show de fogos ao final do GP do Bahrein  (Foto: Getty Images)

Show de fogos ao final do GP do Bahrein (Foto: Getty Images)

O Grande Prêmio do Bahrein me surpreendeu mais uma vez. Mesmo sendo uma pista que não agrada, num país sem tradição, pelo segundo consecutivo nós vimos uma prova agitada, com ultrapassagens e boas estratégias de pneus, que movimentaram a corrida.

O próximo compromisso da Fórmula 1 é na China, dia 17 de abril.

 

Classificação final:

Sem título

 

Volta mais rápida: 1:34.482 – Nico Rosberg (Volta 41)

Um comentário sobre “Bahrein 2016

  1. A corrida foi boa, mas acho que é porque a expectativa era quase zero.
    Já Gene Haas deveria rever a posição.
    Este carro é muito bem nascido, merece evoluir.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s