SF1T Classics – Spa ’58

O vídeo que eu trago aqui hoje, é uma espécie de documentário sobre o GP da Bélgica de 1958. Está com a narração em inglês, mas mesmo quem não estiver com o inglês em dia (meu caso, por exemplo) vai poder aproveitar esse verdadeiro show de imagens de uma era mágica da Fórmula 1

Bélgica 2011 – Treino Oficial

Interessante; esse pode ser o adjetivo para qualificar o Treino de Classificação do GP Bélgica. O treino começou com chuva. Nada de anormal nisso em se tratando de Spa-Francorchamps. A chuva só parou mesmo no Q3, e com pneus slick, Sebastian Vettel marcou sua nona pole-position na temporada, chegando, com apenas 24 anos e quatro de carreira, à impressionante marca de 24 poles, empatando com ninguém menos que Nelson Piquet e Niki Lauda. Logo depois vem Lewis Hamilton, mostrando que se não consegue tomar a ponta do grid dos carros austríacos, pelo menos está sempre ali por perto. Em terceiro, o aniversariante do dia, Mark Webber, que definitivamente não tem conseguido acompanhar o ritmo de seu companheiro, e andou mais de 1 segundo atrás do alemão.

Os três primeiros no grid em Spa

Na quarta posição a primeira surpresa do dia: Felipe Massa que, sabe-se lá como, conseguiu botar 1 segundo em Fernando Alonso (que larga em oitavo). Logo depois vem Nico Rosberg, num bom quinto lugar com sua Mercedes, o que não chega a surpreender ninguém. Atrás do filho do Keke mais uma surpresa: Jaime Alguersuari levou a Toro Rosso a um ótimo 6 lugar no grid.

Eu não vi o treino, mas fico imaginando a gritaria que o Galvão deve ter arrumado com o que veio a seguir. Em sua estreia na Renault, Bruno Senna foi realmente muito bem e conseguiu um excelente sétimo lugar no grid, logo a frente de Fernando Alonso, Sérgio Perez e de seu companheiro Vitaly Petrov, que larga em 10º.

Jenson Button foi uma das grandes decepções de hoje, foi mal e larga apenas em 13º, atrás de Buemi e Kobayashi. Rubens Barrichello, que vinha fazendo um treino até razoável, foi atrapalhado por Kovalainen em sua última volta rápida e larga em 14º. Adrian Sutil bateu no Q2 e larga em 15º, seguido de Kovalainen, DiResta, Trulli, Glock e D’Ambrosio. Pastor Maldonando, que se envolveu em um incidente com Lewis Hamilton (os dois se tocaram e logo depois o venezuelano teria jogado pra cima do britânico), foi punido, perdeu cinco posições no grid e larga em 21º.

Eu poderia dizer que na rabeira do grid estava tudo como sempre, mas… Logo atrás dos carros da Hispania ninguém menos do ele: Michael Schumacher.

No fim de semana que marca os 20 anos de sua estreia na Fórmula 1 o Dick Vigarista bateu no Q1 e larga em último lugar (podem jogar pedra à vontade em mim: o fato que é eu adoro ver esse safado se dando mal).

Ele me deixou muito feliz hoje…

Red Bull te dá asas… 24ª pole-position da carreira de Sebastian Vettel

Grid de Largada para o GP da Bélgica 2011:

1 – Sebastian Vettel (Red Bull/Renault) – 1m48s298

2 – Lewis Hamilton (McLaren/Mercedes) – 1m48s730

3 – Mark Webber (Red Bull/Renault) – 1m49s376

4 – Felipe Massa (Ferrari) – 1m50s256

5 – Nico Rosberg (Mercedes) – 1m50s552

6 – Jaime Alguersuari (Toro Rosso/Ferrari) – 1m50s773

7 – Bruno Senna (Renaul) – 1m51s121

8 – Fernando Alonso (Ferrari) – 1m51s251

9 – Sergio Pérez (Sauber/Ferrari) – 1m51s374

10 – Vitaly Petrov (Renault) – 1m52s303

11 – Sebastien Buemi (Toro Rosso/Ferrari) – 2m04s692

12 – Kamui Kobayashi (Sauber/Ferrari) – 2m04s757

13 – Jenson Button (McLaren/Mercedes) – 2m05s150

14 – Rubens Barrichello (Williams/Cosworth) – 2m07s349

15 – Adrian Sutil (Force India/Mercedes) – 2m07s777

16 – Heikki Kovalainen (Lotus/Renault) – 2m08s354

17 – Paul di Resta (Force India/Mercedes) – 2m07s758

18 – Jarno Trulli (Lotus/Renault) – 2m08s773

19 – Timo Glock (Virgin/Cosworth) – 2m09s566

20 – Jerome D’Ambrosio (Virgin/Cosworth) – 2m11s601

21 – Pastor Maldonado (Williams/Cosworth) – 2m08s106 (punido)

22 – Vitantonio Liuzzi (Hispania/Cosworth) – 2m11s616

23 – Daniel Ricciardo (Hispania/Cosworth) – 2m13s077

24 – Michael Schumacher (Mercedes) – sem tempo

Bélgica 2011

Depois de longas três semanas, chegamos a Spa-Francorchamps para o GP da Bélgica. Não vou me aprofundar sobre o mágico circuito belga, porque já fiz alguns textos sobre ele, e acho que todo mundo conhece bem a história de Spa.

A grande novidade para o GP é a promoção de Bruno Senna ao posto de titular da Renault (imagino quanta gente deve estar chorando de emoção nesse momento…). Nick Heidfeld não vinha correspondendo e levou um belo pé no traseiro (Eddie Jordan já havia ventilado a notícia no site da BBC há alguns dias). E pelo que eu vi no (ótimo) blog do Flávio Gomes, a equipe retirou o nome do alemão da lista de pilotos de seu site oficial, ou seja, o Senninha fica até o fim do ano.

Além disso, a FIA resolveu proibir o uso da Asa Móvel na Eau Rouge durante os treinos livres e classificação, devido ao risco que os pilotos correriam de perder o controle do carro com mais facilidade devido à redução de pressão aerodinâmica com o dispositivo em uso (lembrando que o uso da Asa Móvel geralmente é permitido em toda a pista nessas sessões).

De resto, nada de diferente: a Red Bull segue olhando para o retrovisor preocupada com o que a McLaren e a Ferrari podem aprontar nessa segunda parte do campeonato, principalmente na Bélgica e na Itália, que são duas pistas que não favorecem tanto assim os carros austríacos.

Essa será 57ª vez que a corrida será disputada, a última edição foi vencida por Lewis Hamilton, e o pole-position foi Mark Webber, com o tempo de 1:45.778 (Para mais estatísticas leia aqui).

Hamilton no pódio em Spa, 2010