50’s – Spa

Mais uma bela foto de Il Maestro, dessa vez em Spa, com seu Alfa-Romeo 158, no GP da Bélgica de 1951

Anúncios

Bélgica 2011 – Treino Oficial

Interessante; esse pode ser o adjetivo para qualificar o Treino de Classificação do GP Bélgica. O treino começou com chuva. Nada de anormal nisso em se tratando de Spa-Francorchamps. A chuva só parou mesmo no Q3, e com pneus slick, Sebastian Vettel marcou sua nona pole-position na temporada, chegando, com apenas 24 anos e quatro de carreira, à impressionante marca de 24 poles, empatando com ninguém menos que Nelson Piquet e Niki Lauda. Logo depois vem Lewis Hamilton, mostrando que se não consegue tomar a ponta do grid dos carros austríacos, pelo menos está sempre ali por perto. Em terceiro, o aniversariante do dia, Mark Webber, que definitivamente não tem conseguido acompanhar o ritmo de seu companheiro, e andou mais de 1 segundo atrás do alemão.

Os três primeiros no grid em Spa

Na quarta posição a primeira surpresa do dia: Felipe Massa que, sabe-se lá como, conseguiu botar 1 segundo em Fernando Alonso (que larga em oitavo). Logo depois vem Nico Rosberg, num bom quinto lugar com sua Mercedes, o que não chega a surpreender ninguém. Atrás do filho do Keke mais uma surpresa: Jaime Alguersuari levou a Toro Rosso a um ótimo 6 lugar no grid.

Eu não vi o treino, mas fico imaginando a gritaria que o Galvão deve ter arrumado com o que veio a seguir. Em sua estreia na Renault, Bruno Senna foi realmente muito bem e conseguiu um excelente sétimo lugar no grid, logo a frente de Fernando Alonso, Sérgio Perez e de seu companheiro Vitaly Petrov, que larga em 10º.

Jenson Button foi uma das grandes decepções de hoje, foi mal e larga apenas em 13º, atrás de Buemi e Kobayashi. Rubens Barrichello, que vinha fazendo um treino até razoável, foi atrapalhado por Kovalainen em sua última volta rápida e larga em 14º. Adrian Sutil bateu no Q2 e larga em 15º, seguido de Kovalainen, DiResta, Trulli, Glock e D’Ambrosio. Pastor Maldonando, que se envolveu em um incidente com Lewis Hamilton (os dois se tocaram e logo depois o venezuelano teria jogado pra cima do britânico), foi punido, perdeu cinco posições no grid e larga em 21º.

Eu poderia dizer que na rabeira do grid estava tudo como sempre, mas… Logo atrás dos carros da Hispania ninguém menos do ele: Michael Schumacher.

No fim de semana que marca os 20 anos de sua estreia na Fórmula 1 o Dick Vigarista bateu no Q1 e larga em último lugar (podem jogar pedra à vontade em mim: o fato que é eu adoro ver esse safado se dando mal).

Ele me deixou muito feliz hoje…

Red Bull te dá asas… 24ª pole-position da carreira de Sebastian Vettel

Grid de Largada para o GP da Bélgica 2011:

1 – Sebastian Vettel (Red Bull/Renault) – 1m48s298

2 – Lewis Hamilton (McLaren/Mercedes) – 1m48s730

3 – Mark Webber (Red Bull/Renault) – 1m49s376

4 – Felipe Massa (Ferrari) – 1m50s256

5 – Nico Rosberg (Mercedes) – 1m50s552

6 – Jaime Alguersuari (Toro Rosso/Ferrari) – 1m50s773

7 – Bruno Senna (Renaul) – 1m51s121

8 – Fernando Alonso (Ferrari) – 1m51s251

9 – Sergio Pérez (Sauber/Ferrari) – 1m51s374

10 – Vitaly Petrov (Renault) – 1m52s303

11 – Sebastien Buemi (Toro Rosso/Ferrari) – 2m04s692

12 – Kamui Kobayashi (Sauber/Ferrari) – 2m04s757

13 – Jenson Button (McLaren/Mercedes) – 2m05s150

14 – Rubens Barrichello (Williams/Cosworth) – 2m07s349

15 – Adrian Sutil (Force India/Mercedes) – 2m07s777

16 – Heikki Kovalainen (Lotus/Renault) – 2m08s354

17 – Paul di Resta (Force India/Mercedes) – 2m07s758

18 – Jarno Trulli (Lotus/Renault) – 2m08s773

19 – Timo Glock (Virgin/Cosworth) – 2m09s566

20 – Jerome D’Ambrosio (Virgin/Cosworth) – 2m11s601

21 – Pastor Maldonado (Williams/Cosworth) – 2m08s106 (punido)

22 – Vitantonio Liuzzi (Hispania/Cosworth) – 2m11s616

23 – Daniel Ricciardo (Hispania/Cosworth) – 2m13s077

24 – Michael Schumacher (Mercedes) – sem tempo

Bélgica 2011

Depois de longas três semanas, chegamos a Spa-Francorchamps para o GP da Bélgica. Não vou me aprofundar sobre o mágico circuito belga, porque já fiz alguns textos sobre ele, e acho que todo mundo conhece bem a história de Spa.

A grande novidade para o GP é a promoção de Bruno Senna ao posto de titular da Renault (imagino quanta gente deve estar chorando de emoção nesse momento…). Nick Heidfeld não vinha correspondendo e levou um belo pé no traseiro (Eddie Jordan já havia ventilado a notícia no site da BBC há alguns dias). E pelo que eu vi no (ótimo) blog do Flávio Gomes, a equipe retirou o nome do alemão da lista de pilotos de seu site oficial, ou seja, o Senninha fica até o fim do ano.

Além disso, a FIA resolveu proibir o uso da Asa Móvel na Eau Rouge durante os treinos livres e classificação, devido ao risco que os pilotos correriam de perder o controle do carro com mais facilidade devido à redução de pressão aerodinâmica com o dispositivo em uso (lembrando que o uso da Asa Móvel geralmente é permitido em toda a pista nessas sessões).

De resto, nada de diferente: a Red Bull segue olhando para o retrovisor preocupada com o que a McLaren e a Ferrari podem aprontar nessa segunda parte do campeonato, principalmente na Bélgica e na Itália, que são duas pistas que não favorecem tanto assim os carros austríacos.

Essa será 57ª vez que a corrida será disputada, a última edição foi vencida por Lewis Hamilton, e o pole-position foi Mark Webber, com o tempo de 1:45.778 (Para mais estatísticas leia aqui).

Hamilton no pódio em Spa, 2010

Bélgica 2010 – Corrida

Conforme o esperado, as características do traçado de Spa-Francorchamps realmente favoreceram a McLaren: Lewis Hamilton venceu a prova e reassumiu a liderança do Mundial de Pilotos, três pontos a frente de Mark Webber.

Lewis Hamilton chega à sua terceira vitória e assume a ponta do Mundial

Como todo mundo já sabe, a imprevisibilidade do tempo é uma das principais características do GP belga, e claro, a chuva deu as caras Spa-Francorchamps hoje. A prova começou com a pista seca, mas a chuva caiu ainda na primeira volta, na região dos boxes. Mark Webber (Red Bull/Renault), que largou em primeiro, teve problemas com o câmbio e caiu para o sétimo lugar, Lewis Hamilton (McLaren/Mercedes-Benz) assumiu a ponta (e não saiu mais de lá) com Robert Kubica (Renault) na segunda posição.

Largada do GP da Bélgica 2010

Com a chuva, vários pilotos passaram reto na Bus Stop, e nessa confusão, Rubens Barrichello, que vinha em nono, perdeu o controle de sua Williams/Cosworth, bateu em Fernando Alonso (Ferrari) e abandonou seu 300º GP ainda na primeira volta. Alonso não teve maiores problemas, entrou nos boxes e trocou os pneus slick por intermediários. Com a confusão, o Safety Car entrou na pista, mas ninguém foi para os boxes, confiando que a chuva passaria logo; e foi o que aconteceu.

Barrichello vê seu 300º GP chegar ao fim ainda na primeira volta

Na relargada Hamilton manteve a ponta, seguido de Jenson Button (McLaren/Mercedes-Benz), que havia ultrapassado Kubica ainda na primeira volta. Com o fim da chuva, Alonso teve que voltar aos boxes para colocar novamente os pneus slick. Button tinha problemas na asa dianteira, e sofreu uma grande pressão de Sebastian Vettel (Red Bull/Renault), que acabou batendo no atual campeão, tirando-o da prova. Vettel teve que ir aos boxes trocar o bico de seu carro, e perdeu muitas posições. Com isso Kubica reassumiu a segunda posição, com Webber em terceiro e Felipe Massa (Ferrari) em quarto. A partir da 25ª volta, os líderes fizeram seus pit-stops, mantendo suas posições, com Webber bem próximo a Kubica.

Sebastian Vettel voltaria a aprontar das suas. Na tentativa de ultrapassar Vitantonio Liuzzi (Force India/Mercedes-Benz), acertou a asa do carro do italiano, e teve um pneu furado. Resultado, o piloto da Red Bull foi obrigado a se arrastar aos boxes e caiu para a 15ª posição.

E então a chuva voltou a cair em Spa-Francorchamps, e foi todo mundo ao mesmo tempo para os boxes, exceto os quatro primeiros. Na 35ª volta, Button escapa, mas consegue voltar à pista, e na volta seguinte os quatro entram nos boxes. Nessa brincadeira, Webber toma a segunda posição de Kubica e se mantém por lá.

A Ferrari de Fernando Alonso destruída depois de seu acidente

Dessa vez a chuva não parou, e Alonso bateu na saída da Les Combes, abandonando a prova, e provocando a segunda entrada do Safety Car, que saiu na 41ª volta, com os quatro primeiros mantendo suas posições. Nico Rosberg (Mercedes-Benz) ultrapassou Michael Schumacher (Mercedes-Benz), provando mais uma vez que o velho Dick Vigarista não consegue acompanhar o ritmo do filho do Keke.

No fim das contas, Hamilton venceu sua terceira prova no ano e reassumiu a ponta da tabela.

Hamilton engole a concorrência e fatura o GP da Bélgica

Bélgica 2010 – Resultados

Classificação final do Grande Prêmio da Bélgica 2010:

1 – Lewis Hamilton (ING/McLaren/Mercedes-Benz) – 44 voltas em 1h29m04s268
2 – Mark Webber (AUS/Red Bull/Renault) – a 1s571
3 – Robert Kubica (POL/Renault) – a 3s493
4 – Felipe Massa (BRA/Ferrari) – a 8s264
5 – Adrian Sutil (ALE/Force India/Mercedes-Benz) – a 9s094
6 – Nico Rosberg (ALE/Mercedes-Benz) – a 12s359
7 – Michael Schumacher (ALE/Mercedes-Benz) – a 15s548
8 – Kamui Kobayashi (JAP/Sauber/Ferrari) – a 16s678
9 – Vitaly Petrov (RUS/Renault) – a 23s851
10 – Vitantonio Liuzzi (ITA/Force India/Mercedes-Benz) – a 34s831
11 – Pedro de la Rosa (ESP/Sauber/Ferrari) – a 36s019
12 – Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso/Ferrari) – a 39s895
13 – Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso/Ferrari) – a 49s457
14 – Nico Hulkenberg (ALE/Williams/Cosworth) – a 1 volta
15 – Sebastian Vettel (ALE/Red Bull/Renault) – a 1 volta
16 – Heikki Kovalainen (FIN/Lotus/Cosworth) – a 1 volta
17 – Lucas di Grassi (BRA/Virgin/Cosworth) – a 1 volta
18 – Timo Glock (ALE/Virgin/Cosworth) – a 1 volta
19 – Jarno Trulli (ITA/Lotus/Cosworth) – a 1 volta
20 – Sakon Yamamoto (JAP/Hispania/Cosworth) – a 2 voltas

Não completaram a prova:

Fernando Alonso (ESP/Ferrari) – a 7 voltas/acidente
Jenson Button (ING/McLaren/Mercedes-Benz) – a 29 voltas/acidente
Bruno Senna (BRA/Hispania/Cosworth) – a 39 voltas/acidente
Rubens Barrichello (BRA/Williams/Cosworth) – a 44 voltas/acidente

Melhor volta: Lewis Hamilton (ING/McLaren/Mercedes-Benz) – 1m49s069, na 32ª volta

Bélgica 2010 – Treino Oficial

É verdade, eu não falei sobre os Treinos Livres de ontem, fiquei com preguiça mesmo. Então a gente pula esse assunto e vai direto para a Qualificação.

A sessão foi marcada pela instabilidade do tempo, e quem saiu primeiro levou vantagem. Mark Webber (Red Bull/Renault) foi quem melhor se aproveito da situação e conseguiu sua quinta Pole no ano. Lewis Hamilton (McLaren/Mercedes-Benz) foi muito bem e conseguiu a segunda posição, a apenas 85 milésimos do australiano. Em terceiro, um surpreendente Robert Kubica com uma Renault mostrando grande evolução

Os três primeiros do grid em Spa

Vettel (Red Bull/Renault) e Button (McLaren/Mercedes-Benz) conseguiram a quarta e quinta posições ficando atrás de seus respectivos companheiros de equipe.

Na Ferrari a situação não é boa. Fernando Alonso, que tinha conseguido o melhor tempo dos treinos de ontem, ficou apenas com a décima posição. Felipe Massa foi melhor e conseguiu o sexto posto no grid.

A Williams conseguiu um belo desempenho neste sábado, colocando os dois carros no Q3, com Rubens Barrichello em sétimo e Nico Hülkenberg em décimo, mostrando que o tradicional time de Sir Frank vem evoluindo bastante na temporada.

Na Mercedes-Benz, o caos. Nico Rosberg perdeu cinco posições por trocar a caixa de câmbio e larga em 14º, Michael Schumacher, punido pelos eventos de Hungaroring larga em 21º

No meio do grid nada de muito surpreendente, a não ser o fato de que Heikki Kovalainen Timo Glock, que passaram para o Q2, mas Glock foi punido e perdeu cinco posições, e Jaime Alguersuari que colocou o carro da Toro Rosso em 11º.

Bruno Senna larga em 18º e Lucas di Grassi em 23º.

Webber chega a sua 5ª Pole na temporada

Grid de largada para o GP da Bélgica 2010

1 – Mark Webber (AUS/Red Bull/Renault) – 1m45s778
2 – Lewis Hamilton (ING/McLaren/Mercedes-Benz) – 1m45s863
3 – Robert Kubica (POL/Renault) – 1m46s100
4 – Sebastian Vettel (ALE/Red Bull/Renault) – 1m46s127
5 – Jenson Button (ING/McLaren/Mercedes-Benz) – 1m46s206
6 – Felipe Massa (BRA/Ferrari) – 1m46s314
7 – Rubens Barrichello (BRA/Williams/Cosworth) – 1m46s602
8 – Adrian Sutil (ALE/Force India/Mercedes-Benz) – 1m46s659
9 – Nico Hulkenberg (ALE/Williams/Cosworth) – 1m47s053
10 – Fernando Alonso (ESP/Ferrari) – 1m47s441
11 – Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso/Ferrari) – 1m48s267
12 – Vitantonio Liuzzi (ITA/Force India/Mercedes-Benz) – 1m48s680
13 – Heikki Kovalainen (FIN/Lotus/Cosworth) – 1m50s980
14 – Nico Rosberg (ALE/Mercedes-Benz) – 1m47s885 (perdeu 5 posições)
15 – Jarno Trulli (ITA/Lotus/Cosworth) – 2m01s491
16 – Sébastien Buemi (SUI/Toro Rosso/Ferrari) – 1m49s209 (perdeu 3 posições)
17 – Kamui Kobayashi (JAP/Sauber/Ferrari) – 2m02s284
18 – Bruno Senna (BRA/Hispania/Cosworth) – 2m03s612
19 – Sakon Yamamoto (JAP/Hispania/Cosworth) – 2m03s941
20 – Timo Glock (ALE/Virgin/Cosworth) – 1m52s049 (perdeu 5 posições)
21 – Michael Schumacher (ALE/Mercedes-Benz) – 1m47s874 (perdeu 10 posições)
22 – Pedro de la Rosa (ESP/Sauber/Ferrari) – 2m05s294
23 – Lucas di Grassi (BRA/Virgin/Cosworth) – 2m18s754
24 – Vitaly Petrov (RUS/Renault) – sem tempo

Bélgica 2010

E depois de uma pausa de três semanas, a Fórmula 1 está de volta à atividade. Chegamos a um dos momentos mais aguardados do calendário, o tradicionalíssimo Grande Prêmio da Bélgica, no não menos tradicional autódromo de Spa-Francorchamps.

A primeira edição do GP belga aconteceu no ano de 1925, no antigo traçado de 14 km de Spa, sendo vencido pelo italiano Antônio Ascari, pai do Bi-campeão Mundial Alberto Ascari. A prova está no calendário do Mundial de Fórmula 1 desde sua primeira temporada, em 1950 e está na sua 56ª edição, em 2010.

De 1950 a 1970 a prova sempre foi disputada em Spa-Francorchamps, em 1971, o circuito foi considerado muito perigoso e a prova não foi realizada (também não foi disputada nos anos de 1957, 1959, 1969, 2003 e 2006, por outros motivos que, sinceramente, eu não sei quais são), sendo que entre 1972 e 1974, houve um revezamento entre Nivelles e Zolder, sendo que, a partir de 1975, a prova é definitivamente fixada em Zolder. Depois de uma reforma que modificou bastante o traçado original de Spa (sendo este reduzido pela metade), a prova volta ao tradicional autódromo da região das Ardennes, revezando no ano seguinte com Zolder, e voltando definitivamente em 1985.

Spa-Francorchamps é um dos autódromos mais tradicionais e um dos preferidos de todos os pilotos da Fórmula 1.

O monstruoso traçado original de Spa-Framcorchamps, com seus quase 14 km de extensão

Autódromo de Nivelles (parece uma espingarda, hehehe…)

Zolder

Spa atual, bem menor, mas ainda imponente e desafiador

Algumas estatísticas do Grande Prêmio da Bélgica:

Foram disputadas 55 edições da prova, válidas pelo Mundial de Fórmula 1, sendo 43 em Spa-Francorchamps, 10 em Zolder, e 2 em Nivelles.

O maior vencedor é Michael Schumacher com 6 vitórias (1992, 1995, 1996, 1997, 2001, 2002)

O Pole-Position da prova de 2009 foi Giancarlo Fisichella (Force India/Mercedes-Benz), com o tempo de 1:46:308; o vencedor foi Kimi Räikkönen (Ferrari); a volta mais rápida foi de Sebastian Vettel (Red Bull/Renault) em 1:47:263, na 38ª volta.

Räikkönen venceu em Spa no ano passado

A belíssima vitória de Ayrton Senna no GP belga de 1985, quand Spa voltou definitivamente ao calendário da Fórmula 1