90’s – Heróico

Damon Hill, na melhor atuação de sua vida, no GP da Hungria de 1997. A bordo do seu fraco Arrows A18, o então campeão do mundo teve uma tarde heroica ao chegar em segundo lugar naquele Grande Prêmio, perdendo apenas para o imbatível Williams de Jacques Villeneuve.

Anúncios

Hungria 2011 – Corrida

Jenson Button. Esse é o nome do novo rei da chuva. Em mais uma corrida molhada, o campeão de 2009 foi brilhante, e com uma estratégia inteligente e muita consistência, venceu sua segunda corrida no ano. Sebastian Vettel, que fez uma corrida mais pensando no campeonato do que na vitória em si, chegou em segundo, e Fernando Alonso, apesar dos erros cometidos, em terceiro.

Jenson Button vence sua segunda corrida no ano

A largada foi com pista molhada, e Vettel se manteve na ponta, com Hamilton muito próximo a ele.  Webber e Massa, que largaram do lado sujo, perderam posições para Fernando Alonso, Nico Rosberg e Michael Schumacher, que chegou a passar Alonso também. Mas logo depois Alonso retoma a posição perdida para Schumacher e Massa também recupera uma posição.

Largada do GP da Hungria

Enquanto isso, na frente, Hamilton passa Vettel na volta 5, e abria uma boa vantagem. Voltando ao pelotão logo atrás, Fernando Alonso fazia uma corrida muito instável, escapando algumas vezes, chegando a perder a posição para Felipe Massa, mas logo depois recuperou. O Brasileiro, na tentativa de acompanhar seu companheiro de equipe, acabou escapando, bateu, quebrou parte da asa traseira, e perdeu várias posições.

A pista começava a secar, e Massa e Webber foram os primeiros a arriscar a colocar pneus slick, e conseguiram recuperar algumas posições. Button chegou ao segundo lugar, e com a pista secando, a McLaren seguiu nas duas primeiras posições, com Hamilton abrindo vantagem, na ponta.

Com tudo um pouco mais calmo, a corrida seguia sem sobressaltos até que Nick Heidfeld para nos boxes para seu segundo pit stop, e na saída seu carro pega fogo. Ele para na faixa de saída do pit e consegue sair do carro sem problemas, enquanto o incêndio é apagado e o carro tirado da pista. Interessante notar que a direção de prova não acionou o carro de segurança.

O carro de Heidfeld pegou fogo após sair dos boxes

Então foi a vez das equipes grandes tornarem a chamar seus pilotos aos boxes. Os pilotos da Red Bull e Jenson Button colocam os pneus macios, enquanto Hamilton e Alonso vão de supermacios. Button começa a tirar a diferença, até que a chuva volta a cair e na 47ª volta, Hamilton rodou e perdeu a liderança. Na tentativa de voltar rapidamente, ele faz uma manobra arriscada e joga Paul Di Resta para a grama.  A pista continuava molhada, mas ninguém parou para trocar pneus, e Button roda na curva 3, perdendo a liderança para Hamilton, mas deu o troco na reta principal, e logo depois Hamilton retomou a posição, numa bela disputa entre os dois pilotos da McLaren.

Hamilton e Button disputando posição

Então Hamilton entra nos boxes para colocar os intermediários, o que se revelou um grande erro, já que quatro voltas depois teve que parar de novo para colocar os slicks, já que a pista secava novamente. E na volta seguinte teve que parar de novo, por conta de um drive through, por causa da confusão com Di Resta. Bom para Button, que ficou tranqüilo na liderança.

No fim das contas, Vettel manteve a segunda posição, com Alonso em terceiro, Hamilton acabou num frustrante quarto lugar, Webber em quinto e Massa, que conseguiu uma boa recuperação, em sexto. Rubens Barrichello, com sua problemática Williams, chegou em 13º.

Mais uma ótima atuação de Button, que chega à sua quarta vitória na McLaren, todas sob chuva, num fim de semana em que foi muito bem na pista, mas teve muita dor de cabeça fora dela, com seu site oficial sendo alvo de ataque de hackers.

E a Red Bull que abra o olho, porque a McLaren e a Ferrari não vão se entregar…

O novo rei da chuva

Hungria 2011 – Resultados

Classificação final do Grande Prêmio da Hungria 2011:

1. Jenson Button (McLaren/Mercedes) 1h43m42s337

2. Sebastian Vettel (Red Bull/Renault) + 3s588

3. Fernando Alonso (Ferrari) + 19s819

4. Lewis Hamilton (McLaren/Mercedes) + 48s338

5. Mark Webber (Red Bull/Renault) + 49s742

6. Felipe Massa (Ferrari) + 1m17s176

7. Paul di Resta (Force India/Mercedes) + 1 volta

8. Sebastien Buemi (Toro Rosso/Ferrari) + 1 volta

9. Nico Rosberg (Mercedes) + 1 volta

10. Jaime Alguersuari (Toro Rosso/Ferrari) + 1 volta

11. Kamui Kobayashi (Sauber/Ferrari) + 1 volta

12. Vitaly Petrov (Renault) + 1 volta

13. Rubens Barrichello (Williams/Cosworth) + 2 voltas

14. Adrian Sutil (Force India/Mercedes) + 2  voltas

15. Sergio Pérez (Sauber/Ferrari) + 2  voltas

16. Pastor Maldonado (Williams/Cosworth) + 2 voltas

17. Timo Glock (Virgin/Cosworth) + 4 voltas

18. Daniel Ricciardo (Hispania/Cosworth) + 4 voltas

19. Jerome D’Ambrosio (Virgin/Cosworth) + 5 voltas

20. Vitantonio Liuzzi (Hispania/Cosworth) + 5 voltas

Não completaram a prova:

Heikki Kovalainen (Lotus/Renault) na volta 56

Michael Schumacher (Mercedes) na volta 27

Nick Heidfeld (Renault) na volta 24

Jarno Trulli (Lotus/Renault) na volta 18

Melhor volta: Felipe Massa (Ferrari) – 1m23s415

Hungria 2011 – Treinos Livres

Será que a crise chegou na Red Bull? A equipe dos energéticos ficou meio sumida nessa sexta-feira. É verdade que Vettel conseguiu o segundo tempo na sessão da manhã, mas no fim das contas, quem brilhou mesmo em Hugaroring hoje, foram as, até aqui, coadjuvantes McLaren e Ferrari. O Atual campeão só conseguiu o 5º tempo no final, enquanto Webber, mesmo batendo na sessão matutina, foi ligeiramente melhor e conseguiu ficar uma posição à frente, pouco para uma equipe que vinha dominando de forma até cruel, a temporada.

Na McLaren, só alegria. Lewis Hamilton conseguiu o melhor tempo em ambas as sessões, enquanto Button fez o 3º. Curioso o fato de que a equipe de Woking foi a primeira das grandes a entrar na pista pela manhã, o que dá a entender que foram testadas novidades no MP4/26.

Lewis Hamilton foi o mais rápido dessa sexta-feira em Hungaroring

A Ferrari também pode se dar por satisfeita, com Alonso, que comemorou seu aniversário de 30 anos hoje, conseguindo o 2º tempo, apenas 0,241 s atrás de Hamilton, enquanto Felipe Massa conseguiu o 6º tempo.

Na Mercedes, nada de muito diferente do normal, Rosberg em 7º e Schumacher em 8º. A Force India vem mostrando evolução e consegui o 9º tempo com Di Resta e o 10º com Sutil, ficando à frente da Sauber que marcou o 11º tempo com Kobayashi e o 12º com Perez.

Na Williams a situação continua crítica, o FW33 continua problemático e Rubens Barrichello conseguiu apenas o 13º tempo, Pastor Maldonado fiou em 15º, atrás de Heidfeld (que foi substituído por Senna na parte da manhã), Petrov ficou entre os carros da Toro Rosso (Alguersuari em 16º e Buemi em 18º).

No fim do grid nada anormal, com Trulli em 19º e Kovalainen em 20º, enquanto que as Virgins e Hispanias ficaram acima do limite dos 107%.

Bruno Senna teve sua primeira chance com a Renault no ano

Tempos gerais dos Treinos Livres do GP da Hungria 2011:

 1. Lewis Hamilton (McLaren/Mercedes) 1m21s018 (48 voltas)

2. Fernando Alonso (Ferrari) 1m21s259 (69 voltas)

3. Jenson Button (McLaren/Mercedes) 1m21s322 (54 voltas)

4. Mark Webber (Red Bull/Renault) 1m21s508 (47 voltas)

5. Sebastian Vettel (Red Bull/Renault) 1m21s549 (55 voltas)

6. Felipe Massa (Ferrari) 1m22s099 (65 voltas)

7. Nico Rosberg (Mercedes) 1m22s121 (58 voltas)

8. Michael Schumacher (Mercedes) 1m22s440 (56 voltas)

9. Paul di Resta (Force India/Mercedes) 1m22s835 (62 voltas)

10. Adrian Sutil (Force India/Mercedes) 1m22s981 (37 voltas)

11. Kamui Kobayashi (Sauber/Ferrari) 1m23s030 (55 voltas)

12. Sergio Perez (Sauber/Ferrari) 1m23s399 (51 voltas)

13. Rubens Barrichello (Williams/Cosworth) 1m23s679 (58 voltas)

14. Nick Heidfeld (Renault) 1m23s861 (28 voltas)

15. Pastor Maldonado (Williams/Cosworth) 1m24s181 (54 voltas)

16. Jaime Alguersuari (Toro Rosso/Ferrari) 1m24s182 (62 voltas)

17. Vitaly Petrov (Renault) 1m24s546 (43 voltas)

18. Sebastien Buemi (Toro Rosso/Ferrari) 1m24s878 (63 voltas)

19. Jarno Trulli (Lotus/Renault) 1m24s994 (64 voltas)

20. Heikki Kovalainen (Lotus/Renault) 1m25s447 (65 voltas)

21. Nico Hulkenberg (Force India/Mercedes) 1m25s357 (17 voltas)

22. Bruno Senna (Renault) 1m25s855 (25 voltas)

23. Timo Glock (Virgin/Cosworth) 1m26s823 (63 voltas)

24. Jerome D’Ambrosio (Virgin/Cosworth) 1m27s261 (50 voltas)

25. Daniel Ricciardo (Hispania/Cosworth) 1m27s730 (57 voltas)

26. Vitantonio Liuzzi (Hispania/Cosworth) 1m28s255 (49 voltas)

Hungria 2011

Depois do belo GP da Alemanha disputado na lendária Nürburgring, chegamos à Hungria. Muita gente diz que é uma corrida chata, com poucas alternativas. Eu sou da opinião de que o GP magiar é uma das corridas mais interessantes do calendário, com sua combinação de traçado travado (o Leandro Verde do ótimo Bandeira Verde, comparou o traçado com as estradinhas do interior de Minas…), asfalto abrasivo e calor sufocante, levam pilotos e carros ao limite, o que sempre pode ocasionar situações inesperadas.

Hungaroring

Essa será a 26ª edição da prova, todas disputadas em Hungaroring, o vencedor do ano passado foi Mark Webber, pela Red Bull/Renault, e o pole-position foi seu companheiro Sebastian Vettel com tempo de 1:18.773 (Para mais estatísticas leia aqui).

A prova húngara será disputada num momento muito interessante do campeonato: Mesmo que estejam longe de ameaçar a Red Bull, McLaren e Ferrari vêm evoluindo bastante, sendo que as duas últimas corridas foram vencidas pelas duas equipes. Além disso, tivemos a volta dos “difusores soprados” que haviam sido banidos antes da etapa britânica e voltaram na Alemanha.

Outro ponto a se observar é o comportamento dos pneus da Pirelli nessa pista, a fabricante italiana revelou que levará os compostos Supermacios e Macios. Ou seja, controlar o desgaste será fundamental.

No mais, uma notícia de interesse para o torcedor brasileiro: Bruno Senna vai andar no lugar de Nick Heidfeld nos treinos de sexta-feira, o que pode significar que a Renault resolva dar uma chance ao brasileiro, ou não; já que o nome de Romain Grosjean, atual líder da GP2, é mais bem cotado dentro da escuderia francesa, caso o alemão rode. O fato, é que a batata do Quick Nick está assando, e não é de hoje.

Mark Webber venceu o GP da Hungria de 2010

Sebastian Vettel marcando a pole-position e quebrando o recorde da pista em 2010

Hungria 2010 – Corrida

E mais uma vez a Red Bull deu asas a Mark Webber. Com uma estratégia ousada, o australiano chega à sua quarta vitória na temporada e reassume a liderança do Mundial de Pilotos. Fernando Alonso mostra que ainda tem fôlego e chega em segundo. Sebastian Vettel, punido, chegou em terceiro, levando a Red Bull ao topo da classificação entre os Construtores.

Webber, fanfarrão como sempre, comemora sua quarta vitória no ano

Webber largou com pneus super macios, perdeu a posição para Alonso no início da prova. Aproveitou-se da entrada do Safety Car (por causa de um pedaço de asa do carro de Vitantônio Liuzzi), quando todos foram para os boxes , manteve-se na pista e assumiu a liderança, fez o pit-stop na 43ª volta, e não saiu mais da ponta.

Falando em Safety-Car, Vettel se atrapalhou com a saída dele, não respeitou a distância que deveria manter do mesmo, e acabou punido com um drive-through.

O que se viu nos boxes com a entrada do carro de segurança foi um verdadeiro caos: A Mercedes-Benz não prendeu bem a roda traseira direta do carro de Rosberg, que se soltou, fazendo o alemão abandonar a prova. A Renault liberou Kubica antes da hora, e o polonês acabou batendo em Adrian Sutil (Force India/Mercedes-Benz).

Com a entrada do carro de segurança mudou-se a história da prova

Numa corrida que é tradicionalmente marcada por ser uma verdadeira procissão, Rubens Barrichello, mesmo chegando apenas em décimo, roubou a cena fazendo uma ultrapassagem brilhante sobre seu velho rival, Michael Schumacher, que quase joga o brasileiro no muro, o que poderia causar um acidente de grandes proporções. Pela manobra arriscada e anti-desportiva, Dick Vigarista foi punido com a perda de 10 posições no Grid da próxima corrida, o GP da Bélgica, em Spa-Francorchamps, no próximo dia 28.

A magistral ultrapassagem de Barrichello sobre Schumacher

Com relação à McLaren, Hamilton teve problemas com o câmbio, e teve que abandonar a prova. Button, depois de um sábado ruim, chegou em oitavo, conseguindo quatro importantes pontos para a equipe.

Os estreantes das equipes grandes tiveram uma grande corrida. Vitaly Petrov (Renault) conseguiu o quinto lugar, e Nico Hulkenberg (Williams/Cosworth), chegou em sexto

Felipe Massa, mesmo fazendo uma corrida bastante burocrática (ao contrário do que ele disse que faria), chegou em um bom quarto lugar, mas mostrando que, realmente, será engolido por Alonso na temporada, com ou sem ajuda da Ferrari.

Bruno Senna e Lucas Di Grassi, conseguiram terminar mais uma prova, chegando em 17º e 18º, respectivamente.

Red Bull te dá asas… Mark Webber que o diga…