90’s – Heróico

Damon Hill, na melhor atuação de sua vida, no GP da Hungria de 1997. A bordo do seu fraco Arrows A18, o então campeão do mundo teve uma tarde heroica ao chegar em segundo lugar naquele Grande Prêmio, perdendo apenas para o imbatível Williams de Jacques Villeneuve.

Anúncios

Hungria 2010 – Corrida

E mais uma vez a Red Bull deu asas a Mark Webber. Com uma estratégia ousada, o australiano chega à sua quarta vitória na temporada e reassume a liderança do Mundial de Pilotos. Fernando Alonso mostra que ainda tem fôlego e chega em segundo. Sebastian Vettel, punido, chegou em terceiro, levando a Red Bull ao topo da classificação entre os Construtores.

Webber, fanfarrão como sempre, comemora sua quarta vitória no ano

Webber largou com pneus super macios, perdeu a posição para Alonso no início da prova. Aproveitou-se da entrada do Safety Car (por causa de um pedaço de asa do carro de Vitantônio Liuzzi), quando todos foram para os boxes , manteve-se na pista e assumiu a liderança, fez o pit-stop na 43ª volta, e não saiu mais da ponta.

Falando em Safety-Car, Vettel se atrapalhou com a saída dele, não respeitou a distância que deveria manter do mesmo, e acabou punido com um drive-through.

O que se viu nos boxes com a entrada do carro de segurança foi um verdadeiro caos: A Mercedes-Benz não prendeu bem a roda traseira direta do carro de Rosberg, que se soltou, fazendo o alemão abandonar a prova. A Renault liberou Kubica antes da hora, e o polonês acabou batendo em Adrian Sutil (Force India/Mercedes-Benz).

Com a entrada do carro de segurança mudou-se a história da prova

Numa corrida que é tradicionalmente marcada por ser uma verdadeira procissão, Rubens Barrichello, mesmo chegando apenas em décimo, roubou a cena fazendo uma ultrapassagem brilhante sobre seu velho rival, Michael Schumacher, que quase joga o brasileiro no muro, o que poderia causar um acidente de grandes proporções. Pela manobra arriscada e anti-desportiva, Dick Vigarista foi punido com a perda de 10 posições no Grid da próxima corrida, o GP da Bélgica, em Spa-Francorchamps, no próximo dia 28.

A magistral ultrapassagem de Barrichello sobre Schumacher

Com relação à McLaren, Hamilton teve problemas com o câmbio, e teve que abandonar a prova. Button, depois de um sábado ruim, chegou em oitavo, conseguindo quatro importantes pontos para a equipe.

Os estreantes das equipes grandes tiveram uma grande corrida. Vitaly Petrov (Renault) conseguiu o quinto lugar, e Nico Hulkenberg (Williams/Cosworth), chegou em sexto

Felipe Massa, mesmo fazendo uma corrida bastante burocrática (ao contrário do que ele disse que faria), chegou em um bom quarto lugar, mas mostrando que, realmente, será engolido por Alonso na temporada, com ou sem ajuda da Ferrari.

Bruno Senna e Lucas Di Grassi, conseguiram terminar mais uma prova, chegando em 17º e 18º, respectivamente.

Red Bull te dá asas… Mark Webber que o diga…

Hungria 2010 – Resultados

Classificação final do Grande Prêmio da Hungria 2010

1 – Mark Webber (AUS/Red Bull/Renault) – 70 voltas em 1h41m05s571
2 – Fernando Alonso (ESP/Ferrari) – a 17s821
3 – Sebastian Vettel (ALE/Red Bull/Renault) – a 19s252
4 – Felipe Massa (BRA/Ferrari) – a 27s474
5 – Vitaly Petrov (RUS/Renault) – a 1m13s100
6 – Nico Hulkenberg (ALE/Williams/Cosworth) – a 1m16s700
7 – Pedro de La Rosa (ESP/Sauber/Ferrari) – a uma volta
8 – Jenson Button (ING/McLaren/Mercedes-Benz) – a uma volta
9 – Kamui Kobayashi (JAP/Sauber/Ferrari) – a uma volta
10 – Rubens Barrichello (BRA/Williams/Cosworth) – a uma volta
11 – Michael Schumacher (ALE/Mercedes-Benz)- a uma volta
12 – Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso/Ferrari) – a uma volta
13 – Vitantonio Liuzzi (ITA/Force India/Mercedes-Benz) – a uma volta
14 – Heikki Kovalainen (FIN/Lotus/Cosworth) – a três voltas
15 – Jarno Trulli (ITA/Lotus/Cosworth) – a três voltas
16 – Timo Glock (ALE/Virgin/Cosworth) – a três voltas
17 – Bruno Senna (BRA/Hispania/Cosworth) – a três voltas
18 – Lucas di Grassi (BRA/Virgin/Cosworth) – a quatro voltas
19 – Sakon Yamamoto (JAP/Hispania/Cosworth) – a quatro voltas

Não completaram a prova:

Lewis Hamilton (ING/McLaren/Mercedes-Benz) – a 47 voltas/câmbio
Robert Kubica (POL/Renault) – a 47 voltas/suspensão
Nico Rosberg (ALE/Mercedes-Benz) – a 55 voltas/roda
Adrian Sutil (ALE/Force India/Mercedes-Benz) – a 55 voltas/acidente
Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso/Ferrari) – a 69 voltas/motor

Melhor volta: Sebastian Vettel (ALE/Red Bull/Renault) – 1m22s362, na 70ª

Hungria 2010 – Treino Oficial

Mais uma vez Sebastian Vettel provou que é um gênio. Chegou à sua sétima pole na temporada e quebrou o recorde da pista de Hungaroring, com o impressionante tempo de 1:18.773.

Não havia dúvidas de que a Red Bull conseguiria os dois lugares na primeira fila, já que a equipe da latinha dominou todas as sessões anteriores, ora com Vettel, ora com Webber. A dúvida era qual dos dois largaria no lugar de honra do grid.

Os três primeiros do grid em Hungaroring

Deixando a polêmica de Hockenheim de lado, a Ferrari também fez um bom trabalho, mas não o suficiente para ameaçar a equipe austríaca, com Alonso largando em terceiro, ficando a 1.214s de Vettel e superando Felipe Massa, que ficou em quarto, 0.344s atrás do espanhol.

Na McLaren, Hamilton larga em quinto, e Button, que vem tendo constantes problemas para acertar seu carro, larga apenas em décimo primeiro.

Na Mercedes-Benz, tudo igual: Rosberg fez uma boa classificação e larga em sexto, mais uma vez dando coça em Schumacher, que larga em décimo quarto.

A grande surpresa vem da Renault. Pela primeira vez na temporada, Vitaly Petrov consegue superar Robert Kubica, largando em sétimo, enquanto o polonês larga em oitavo.

A Williams demonstra uma pequena queda de rendimento em relação às duas provas anteriores, com apenas um carro passando para o Q1, e não foi Barrichello. Pela segunda vez no ano, Nico Hulkenberg supera o velho Rubens, e larga em décimo, restando ao brasileiro a décima segunda posição.

Pedro de La Rosa confirma seu crescimento, e o da Sauber na temporada, marcando uma boa nona posição, enquanto Kamui Kobayashi que foi punido por ignorar a pesagem, larga em vigésimo terceiro.

Lucas di Grassi larga em vigésimo primeiro, e Bruno Senna em vigésimo segundo.

Vettel chega à sua sétima pole na temporada

Grid de largada para o GP da Hungria 2010

1 – Sebastian Vettel (ALE/Red Bull/Renault) – 1m18s773
2 – Mark Webber (AUS/Red Bull/Renault) – 1m19s184
3 – Fernando Alonso (ESP/Ferrari) – 1m19s987
4 – Felipe Massa (BRA/Ferrari) – 1m20s331
5 – Lewis Hamilton (ING/McLaren/Mercedes-Benz) – 1m20s499
6 – Nico Rosberg (ALE/Mercedes-Benz) – 1m21s082
7 – Vitaly Petrov (RUS/Renault) – 1m21s229
8 – Robert Kubica (POL/Renault) – 1m21s328
9 – Pedro de La Rosa (ESP/Sauber/Ferrari) – 1m21s411
10 – Nico Hulkenberg (ALE/Williams/Cosworth) – 1m21s710
11 – Jenson Button (ING/McLaren/Mercedes-Benz) – 1m21s292
12 – Rubens Barrichello (BRA/Williams/Cosworth) – 1m21s331
13 – Adrian Sutil (ALE/Force India/Mercedes-Benz) – 1m21s517
14 – Michael Schumacher (ALE/Mercedes-Benz) – 1m21s630
15 – Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso/Ferrari) – 1m21s897
16 – Vitantonio Liuzzi (ITA/Force India/Mercedes-Benz) – 1m21s927
17 – Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso/Ferrari) – 1m21s998
18 – Timo Glock (ALE/Virgin/Cosworth) – 1m24s050
19 – Heikki Kovalainen (FIN/Lotus/Cosworth) – 1m24s120
20 – Jarno Trulli (ITA/Lotus/Cosworth) – 1m24s199
21 – Lucas di Grassi (BRA/Virgin/Cosworth) – 1m25s118
22 – Bruno Senna (BRA/Hispania/Cosworth) – 1m26s391
23 – Kamui Kobayashi (JAP/Sauber/Ferrari) – 1m22s222 (punido)
24 – Sakon Yamamoto (JAP/Hispania/Cosworth) – 1m26s453

Hungria 2010

Uma semana depois do polêmico Grande Prêmio da Alemanha, o circo da Fórmula 1 chega a Hungaroring para o Grande Prêmio da Hungria.

A primeira prova válida pelo Mundial disputada em solo magiar foi no ano de 1986, sendo disputada ininterruptamente até hoje, sempre no travado circuito de Hungaroring.

Como eu disse, a pista é uma das mais travadas do calendário, sendo, inclusive, comparada a Monte Carlo. É uma corrida mais para os pilotos do que para o público, pelas características da pista, onde qualquer erro pode significar vários décimos de desvantagem, seu asfalto extremamente abrasivo, e pelo sufocante calor do verão húngaro, que leva os pilotos a um desgaste físico muito grande.

Hungaroring é sempre lembrada por ter sido lá que Nelson Piquet fez, sobre Ayrton Senna, uma das mais belas ultrapassagens de todos os tempos.

O traçado de Hungaroring

Algumas estatísticas do Grande Prêmio da Hungria:

Essa será a 25ª edição da prova, como eu disse acima, todas foram disputadas em Hungaroring.

O maior vencedor é Michael Schumacher, com 4 vitórias (1994, 1998, 2001 e 2004)

O Pole-Position na prova de 2009 foi Fernando Alonso (Renault), com o tempo de 1:21:569; o vencedor foi Lewis Hamilton (McLaren/Mercedes-Benz); a volta mais rápida foi de Mark Webber (Red Bull/Renault), em 1:21:931, na 65ª volta.

Hamilton venceu o GP da Hungria de 2009

Uma das coisas mais lindas da história da F1. Segundo Jackie Stewart, foi como fazer um looping com um Boeing 747