Lauda 67

sl

O aniversariante do dia, Niki Lauda, com seu March. Em algum lugar da temporada de 1972.

Anúncios

Top Alguma Coisa – Bizarros

Bizarros, feios, estranhos. Esses são os adjetivos mais associados aos carros da temporada de 2014. Mas, obviamente, essa situação não é “privilégio” dos novos carros. Antigamente também existiam uns modelos bem esquisitinhos. Vamos então à lista:

March 711 (1971):

march 711

O primeiro carro da lista é um verdadeiro clássico (e um clichê, também). O formato e a posição totalmente incomuns da asa dianteira, resultado das experiências de um tempo em que a aerodinâmica ainda engatinhava no esporte a motor, resultaram nos apelidos de “tábua de passar roupa” ou “prancha de surf”. Foi um carro muito bem sucedido, mesmo sem vitórias, levando o sueco Ronnie Peterson ao vice campeonato em 1971.

Ferrari 312B3 (1974):

ferrari_312b3_3

Este carro da “Máfia de Maranello” nem chegou a disputar um grande prêmio. Era para ser uma evolução do 312B3 do ano anterior, mas além de ser feio e lembrar uma enorme pá de retirar neve (apelido que foi dado ao protótipo, inclusive) não era lá muito eficiente, e foi abandonado, em prol de um projeto mais tradicional.

March 751 (1975):

march751vbrambillaatspanishgp0

Outro carro da March, desta vez o modelo 751, de 1975, numa configuração de asa traseira um pouco diferente para o GP da Espanha daquele ano. Essa foi mais uma bizarra experiência aerodinâmica que não deu muito certo, e foi abandonada logo depois.

ATS H1 (1978):

ats hs1

Esse foi o primeiro carro construído pela equipe germânica para a disputar o Mundial. Não era rápido, muito menos bonito, e não sei, eu não entendo muito de aerodinâmica, mas esse formato do cockpit não me parece ser muito ideal nos propósitos aerodinâmicos…

Ensign N179 (1979):

ensign n179

Dessa lista de seis carros, chegamos ao quinto dos anos 70, o que me faz pensar seriamente que essa foi a época onde os engenheiros da Fórmula 1 mais pensaram em “soluções” bizarras. O Ensign N178 tinha uma “escadaria” na frente, que era composta pelos radiadores (de água e de óleo), numa tentativa de liberar espaço nas laterais para tentar potencializar o efeito-solo. Não deu certo, e além de lento, o carro é considerado por muita gente como o mais feio Fórmula 1 de todos os tempos.

Tyrrell 025 (1997):

tyrrell 025

Esses apêndices aerodinâmicos foram a grande sensação da Fórmula 1 em meados dos anos 90 e esse foi um dos primeiros (ou o primeiro) carro a adotá-lo. Mas em 1997 a Tyrrell já não era mais a grande equipe que tinha sido no passado, e nem mesmo as asas extras conseguiram fazer do 025 um carro rápido.

Esses são os seis da minha lista, quem quiser fique à vontade para fazer a sua nos comentários. E aí, quais são os carros mais bizarros da Fórmula 1 para vocês?

Especial – Six-wheeler

Para o meu amigo Diego “Jamaica” que tentou fazer pegadinha comigo no Facebook, um especial (bem resumido) mostrando os carros de seis rodas na Fórmula 1.

Na primeira foto, Patrick Depailler e Ronnie Peterson com seus Tyrrell P34 no GP do Brasil de 1977 em Interlagos. Essa não foi a primeira versão do P34, que foi lançado no ano anterior, mas eu resolvi colocar uma foto dela, porque eu acho que o conjunto todo da carenagem é mais harmonioso. De fato, o P34 foi o único carro de seis rodas a disputar grandes prêmios, e inclusive venceu uma corrida, o GP da Suécia de 1976, com Jody Scheckter ao volante

Na segunda, o March 2-4-0, que foi a tentativa da March de fazer um carro de seis rodas, desta vez colocando quatro atrás – mais detalhes sobre esse projeto aqui.

As duas últimas são dos projetos da Williams, o FW07D e o FW08B, que poderiam ter sido os mais bem sucedidos de todos porque vinham simplesmente pulverizando os tempos das pistas em que foram testados, mas a FISA baixou uma regra proibindo carros com mais de quatro rodas na categoria, fazendo com o FW08B fosse o último carro de seis rodas da história da Fórmula 1.

Interessante notar que os modelos da Williams além de terem um sistema de quatro rodas motrizes, também tinham efeito solo. Dá para entender porque a FISA resolveu acabar com a festa…

70’s – 2-4-0

March 2-4-0

Ao contrário do que muitos pensam, o famoso Tyrrell P34 não foi o único carro de seis rodas da história da Fórmula 1. A March também teve seu projeto, o 2-4-0, que foi testado em 1977.

A grande diferença entre eles era exatamente na disposição das rodas: enquanto o P34 tinha quatro pequenas rodas na dianteira do carro, com o intuito de melhorar a penetração aerodinâmica, o carro da March possuía quatro rodas atrás, sendo que a tração era dada pelas quatro. A ideia era que, com quatro rodas motrizes, o carro teria muito mais tração, estabilidade e seria mais rápido.

Infelizmente o projeto acabou não dando certo; de fato o carro era mais estável e mais rápido, mas os engenheiros da March não conseguiram criar um câmbio e um diferencial que fossem suficientemente eficientes para funcionar com as quatro rodas.

Mas para quem pensa que a ideia de um carro de quatro rodas morreu aí, está enganado, anos depois a Williams teria seu projeto, mas isso é assunto pra outro post…

Bonus: o Piquet dando uma trollada no carro do Alex Dias Ribeiro (reparem no “eixo fantasma” lá atrás)